HP e Microsoft miram na Oracle

https://i0.wp.com/www.culturamix.com/wp-content/uploads/2009/05/vovo-do-mal.jpg

Hewlett-Packard afirma que seus clientes utilizam mais bancos de dados e aplicativos em hardwares HP do que qualquer outra vendedora. Mas se você está interessado em falar com a Oracle na conferência de grandes usuários da HP, que acontece esta semana, em Las Vegas, você não vai encontrar a empresa listada como expositora.

Alguns funcionários da HP informaram ter visto um caminhão com uma propaganda da Oracle  em frente à conferência. No entanto, a empresa não foi esquecida no temário. Nesta quarta-feira (8), uma sessão do encontro se chamava “Oracle database migrations to Microsoft SQL Server with HP services.”

Bem-vindo à guerra dos vendedores

A Microsoft tem uma participação grande na conferência deste ano devido ao investimento de de $250 milhões de dólares em três anos, que a HP e a Microsoft anunciaram em 2010 para melhorar a integração entre seus produtos.

Os frutos do investimento incluem novos produtos otimizados para o servidor SQL da MIcrosoft, incluindo a HP Business Data Warehouse Appliance e a HP Database Consolidation Solution para a Microsoft SQL, usada para consolidar bancos de dados transacionais.

Funcionários da HP tentam incitar a migração dos produtos da Oracle para os da Microsoft, mas também afirmam que usuários antigos não têm motivo para preocuparem.

“Eles falam duas coisas ao mesmo tempo”, afirma Allen Allison, diretor de segurança da NaviSite, uma empresa de hospedagem que gerencia um provedor com 12 centros de dados em os EUA e no exterior, presente à conferência.

Sua empresa utiliza o Oracle em plataformas HP x86 assim como sistemas Itanium. “Aacho que ao final do dia eles perceberam que por mais que a HP ame a parceria com a Microsoft, ela têm uma base instalada Oracle importante.”

Paul Miller, vice-presidente  de sistemas e soluções de servidores corporativos, armazenamento e rede da HP, garante que a empresa terá  “o melhor desempenho em soluções Oracle para os clientes que optarem por isso”.

“A Oracle não possui a tecnologia de network”, declarou Miller, que acrescentou que as redes se tornam “mais importantes para projetar arquiteturas. Nós vamos continuar a usar o código deles, superá-los e ultrapassá-los”.

A HP também está tentando garantir que usuários da Oracle com sistema Itanium tenham opções. Em março, a fornecedora anunciou planos de desenvolvimento de futuras versões de seus produtos em Itanium. Mas garantiu que continuaria a oferecer suporte para as atuais versões dos produtos Oracle  que rodam em processadores Itanium.

“Para ser claro, ainda há cinco ou seis anos de suporte para Oracle em Itanium, para que os clientes não precisem migrar agora – a maioria dos clientes vê essa mudança a longo prazo”, disse Miller.

Miller também afirmou que a HP não deixa de responder aos clientes que estão à procura de opções, algo que ela faz para outras plataformas, como a IBM.

Allison declarou que a decisão suportar Oracle em Itanium “nos coloca em uma situação difícil”, mas acrescentou: “Tenho certeza de que temos muito engenheiros talentosos que podem consertar o que der problema”.

John Belliveau, engenheiro sênior de sistemas de uma empresa de serviços financeiros, pediu para não ser identificado, mas informou que estava interessado na oferta dos datawarehouses da HP e da Microsoft, especialmente devido aos seus licenciamento e custos.

Mas Belliveau alertou que, em se tratando de datawarehouse, “uma coisa é anunciar em uma conferência que está em concorrência com a Oracle, e outra é provar que você realmente pertence ao mesmo segmento de mercado.”

“A verdadeira questão a considerar é o quanto e quão profundamente este cisma entre as empresas vai”, disse King. “Como um eterno otimista, espero que a Oracle e a HP mantenham tudo funcionando, mas se isso se revelar impossível, os usuários têm muitas outras opções”, incluindo o deslocamento para outras plataformas.

Charles King, analista da Pund-IT, afirmou que há poucos motivos de preocupação para clientes da HP com o Oracle. “A questão real é considerar o quão longe e profundo essa cisma entre as companhias vai”, disse King. “Como um eterno otimista, espero que a Oracle e a HP resolvam seus problemas, mas se isso se revelar impossível, os usuários têm muitas outras opções”, incluindo o deslocamento para outras plataformas.

“Migrar para um hardware e software complemente diferentes é muito menos oneroso do que era no passado”, comentou King. “A HP e a Oracle seriam sábias se mantivessem isso em mente”.

A HP e Microsoft também estão concentrando esforços no desenvolvimento de aparelhos, sistemas pré-configurados e dimensionados para workload. A vantagem dessa abordagem, dizem os vendedores, é a rápida implementação e pouca ou nenhuma integração.

Doug Leland, vice-presidente de negócios da Microsoft SQL Servers, afirmou que “não há dúvida de que o crescimento em termos de tecnologia de banco de dados está se deslocando para os aparelhos e para a nuvem”, principalmente por causa da economia e as taxas de crescimento nessas plataformas.

Mas nem todo usuário está pronto para migrar. Daryl Butler, engenheiro de rede para uma empresa de telecomunicações que pediu para não ser identificado, disse que gostou de direção da Microsoft. Mas garante que que quando se trata de implementação, é mais pela velha escola. “Realmente não gosto de all-in-one”, referindo-se ao aparelho da empresa. “Para uma empresa maior, é mais fácil se adaptar.”

Fonte: http://computerworld.uol.com.br/tecnologia/2011/06/09/hp-e-microsoft-miram-na-oracle/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s