LHC estreita busca por `partícula de Deus`

 

Cientistas do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN) anunciaram que as buscas pelo Bóson de Higgs, ou Partícula de Deus, foram estreitadas.Dois experimentos diferentes do LHC, o grande colisor de partículas controlado pelo CERN, excluíram com 95% de certeza a existência do Bóson nas regiões de massa de 145 a 466 GeV.

Os resultados obtidos pelo Alice e CMC foram apresentados durante a conferência Lepton-Photon em Mumbai, Índia. Os dados significam que os físicos diminuíram significativamente as regiões em que podem encontrar a partícula – o que pode ser uma boa ou má notícia.

Buraco no Modelo

O bóson de Higgs, também chamado de Partícula de Deus, é a única partícula ainda não observada do Modelo Padrão, a teoria que explica o funcionamento geral do Universo. Ele foi proposto há mais de 40 anos para explicar a origem das massas das partículas. Os cientistas sugeriram que todas as partículas existentes não possuíam massa logo após o Big Bang. Conforme o Universo esfriou, um campo de força invisível, o “campo de Higgs”, se formou com seus respectivos bósons.

O campo permanece no cosmos e qualquer partícula que interaja com ele recebe uma massa. Quanto mais interagem, mais pesadas se tornam, enquanto aquelas partículas que não interagem permanecem sem massa.  Apesar de explicar e se encaixar bem nas teorias vigentes do Universo, esta proposição tem um problema: ninguém nunca conseguiu observar os bósons de Higgs para confirmá-la.

A dificuldade é que não se sabe a massa do bóson de Higgs, o que o torna ainda mais difícil de identificar. Atualmente, os físicos buscam por ele vasculhando sistematicamente uma gama de massas dentro da qual ele deveria existir. As faixas ainda não exploradas podem ser analisadas por meio de grandes aceleradores de partículas, como o LHC, o Colisor de Hádrons do CERN.

Na verdade, achar o bóson de Higgs é o maior objetivo do LHC – e a exclusão de mais uma grande faixa de massa pode ter duas interpretações: a “do copo meio cheio”, ou “meio vazio”.

Para os otimistas, significa que as buscas foram estreitadas, e que há menos locais em que o Bóson  pode se “esconder”. Cedo ou tarde, acabará sendo detectado. Já para os pessimistas, quanto menor a área de buscas, maiores as chances de a partícula, de fato, não existir.

Esta segunda hipótese implicaria em grandes consequências para a física moderna: seria preciso voltar à prancheta e repensar o Modelo Padrão.

 

Fonte:http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/lhc-estreita-busca-por-particula-de-deus-23082011-20.shl

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s