Não culpe a internet por tumulto, diz Google

O ex-CEO e atual conselheiro do Google, Eric Schmidt, rechaçou o controle das redes sociais por meio dos governos, durante sua participação no Festival Internacional de TV de Edimburgo. Questionado sobre a tentativa do Governo britânico de regular serviços como Twitter e Facebook durante a onda de violência que atingiu o país, Schmidt disse que é um erro olhar no espelho e decidir quebrá-lo. “Seja qual for o problema, as ações na internet são um reflexo dele. Desligar a internet não irá resolvê-lo”, afirmou.

No início do mês, uma onda de violência, mobilizada por meio do Twitter, Facebook e BBM (serviço de mensagens para BlackBerry), atingiu algumas das principais cidades da Inglaterra, como Londres, Manchester e Birminghan.

Porém, Schmidt ponderou sobre o que é legal ou ilegal dentro das redes. “Classificá-los é um ato de inteligência sutil”, disse.

Na semana passada, a representante do Parlamento, Theresa May, reuniu-se com executivos do Facebook, Twitter e da RIM, fabricante do BlackBerry, para discutir formas de evitar o uso indevido das redes sociais.

Theresa afirmou que o governo não está querendo impor nenhuma forma de restrição às redes sociais, mas sim encontrar maneiras de desmontar a articulação de ações criminosas por meio da web.

Em maio deste ano, Schmidt já havia se colocado abertamente contrário às declarações do presidente francês, Nicolas Sarkozy, a favor do controle da web.

Fonte:http://info.abril.com.br/noticias/internet/nao-culpe-a-internet-por-tumulto-diz-google-29082011-8.shl

 

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s