Lâmpada solar muda a vida de haitianos

 

Lâmpada solar de baixo custo da NOKERO proporciona qualidade de vida a comunidades no Haiti. Não se trata de um lançamento, mas sim de uma boa ideia que merece destaque.

Você sabia que, de acordo com uma pesquisa da GSM, associação que representa interesses de operadoras de celular, mais de 500 milhões de usuários de celular no mundo não têm energia elétrica para recarregar a bateria de seus aparelhos? E não pense que isso é uma realidade muito distante da nossa. Segundo os primeiros dados do Censo 2010 divulgados pelo IBGE, mais de 700 mil domicílios brasileiros não podem ligar seus aparelhos elétricos nas tomadas porque nelas não há energia. Uma realidade no mínimo chocante para quem vive cercado de gadgets e não saberia viver sem eles.

Felizmente, existem mentes criativas pensando em soluções para diminuir a dificuldade de famílias que dependem de querosene e lamparina para enxergar a noite ou que precisam viajar para recarregar as baterias de seus aparelhos celulares. É o caso dos criativos da NOKERO (forma reduzida para No Kerosene), empresa privada criada em 2010 por Steve Katsaros. A ideia é desenvolver produtos solares seguros e de fácil uso para eliminar a necessidade de uso de combustíveis poluentes, como o querosene, para produzir luz ao redor do mundo. O resultado do trabalho é surpreendente. Por US$ 20, uma família no Haiti pode comprar a N200, uma lâmpada solar que conta com quatro leds que duram de duas a oito horas diárias, dependendo da potência que for usada.

Para dimensionar o quanto a lâmpada pode fazer a diferença na vida dessas famílias do Haiti, vamos fazer um cálculo: Segundo a NOKERO, por mês, uma família gasta cerca de oito dólares em combustíveis poluentes, lamparinas e velas. Em três anos, elas terão gasto mais de 280 dólares, certo? Três anos é o tempo de vida de uma N200. Uma economia de mais de 200 dólares.

Outra ideia que merece destaque é a bateria solar com saída USB para recarga de dispositivos móveis. Os modelos P101 Power Panel e P102 Power Panel são compactos, mas acumulam energia suficiente para carregar um celular em três horas ou em uma hora e meia, respectivamente (embora não sejam recomendados para serem usado na recarga de smartphones). Os dois modelos vêm acompanhados com adaptadores para celulares da Samsung, Nokia e Sony. É um gadget útil até mesmo para quem não vive sem eletricidade. O P101 custa US$29 e o P102 US$49.

Abaixo, um vídeo produzido pela NOKERO mostra na prática como a N200 mudou a vida de algumas famílias haitianas.

 

 

Fonte:http://info.abril.com.br/noticias/tecnologias-verdes/lampada-solar-muda-a-vida-de-haitianos-13092011-13.shl

 

Anúncios

Amazon quer criar Netflix de livros

 

A Amazon está trabalhando para lançar um novo modelo de biblioteca virtual, nas quais os usuários pagariam uma mensalidade para ter acesso a todo o acervo do espaço.

De acordo com o The Wall Street Journal, a gigante do e-commerce estaria em negociação com as editoras a fim de conseguir a liberação do acervo. Entretanto, algumas delas ainda resistem ao formato, acreditando que a venda unitária de e-books seria mais lucrativa.

Umas das primeiras em apostar no mercado de e-books, a Amazon lançou seu leitor digital, o Kindle, em novembro de 2007. O produto foi um sucesso de vendas, porém, tem dificuldades para competir com os tablets atuais. Por isso, a Amazon já trabalha em uma nova versão do produto, baseada em Android e com tela colorida.

 

Fonte:http://info.abril.com.br/noticias/mercado/amazon-quer-criar-netflix-de-livros-12092011-1.shl

 

Site nacional paga usuário que aponta bugs

Baseado no modelo de crowdsourcing, Google e Facebook são duas empresas que já remuneram hackers por falhas encontradas em seus sistemas.

E a prática deve crescer no Brasil. O CrowdTest é uma ferramenta que faz a ponte entre usuários e empresas que precisam testar seus novos produtos.

Criado pelos sócios Robert Pereira e Hugo Barros, o site começou a operar em março deste ano e já realizou cerca de 20 ações com empresas como Buscapé, Sul-América, Via6, CupomNow, entre outras. O site surgiu a partir da experiência anterior de Barros à frente da a Base2, empresa especializada em testar softwares.

Segundo Pereira, o candidato não precisa ser um hacker para se tornar um colaborador do serviço. “Trabalhamos com grupos específicos, como usuários de Android, usuários de Firefox, mulheres que utilizam e-commerce, entre outros”, explica ele. Atualmente, a empresa conta com cerca de 1 100 testadores em todo o país.

Existem quatro tipos de erros que o colaborador pode apontar: impeditivos, que causam o travamento do sistema e valem R$ 20; funcionais, ou pequenos bugs de usuabilidade, que valem R$ 10; de interface, como erros de ortografia, botões etc, e que pagam R$ 5; e sugestões de melhorias, que valem R$ 2,50 cada.

De acordo com Pereira, existem colaboradores que recebem até R$ 300 por semana dependo do período. Notebooks, headsets, HDs externos e outros equipamentos também são oferecidos como prêmio.

Em julho deste ano, a CrowdTest foi apontada pela instituto Empreender Endeavor Brasil como umas das novas startups inovadoras do país.

Fonte;http://info.abril.com.br/noticias/internet/site-nacional-paga-usuario-que-aponta-bugs-13092011-16.shl

 

 

 

Artigo: Coleção de música agora é infinita

 

Dei um CD para minha bolsista de 22 anos. Ela olhou para aquela caixinha de acrílico e falou: “Que legal, meu primeiro CD”. Foi assim, por meio da música, que a velhice bateu. No meu tempo, eu ouvia vinil. Quando fiz 13 anos, ganhei meu primeiro walkman, que tocava fita cassete. E isso foi maravilhoso porque a gente podia gravar o que queria. O vinil, claro, era só para ouvir. Depois foi a hora — curta — do minidisc. O CD chegou no fim dos anos 80. Era 1997 quando fui apresentada ao MP3. Foi uma descoberta muito interessante, porque sempre fui fã de música. Tive até uma banda no Brasil, pela gravadora Midsummer Madness.O MP3 me ajudou a conhecer mais música, porque as pessoas podem baixar de qualquer servidor sem pagar, pelo BitTorrent, ou pagando, por meio de serviços como o Rhapsody. Podem também apenas escutar seus artistas favoritos, no Pandora ou na Last.fm, por exemplo. E para quem gosta de gravar rádio tem ainda o Dar.fm.

 

Com o cloud computing, qualquer tipo de arquivo eletrônico pode ser guardado fora do seu disco rígido. Para música, isso significa que você não precisa mais ter arquivos de MP3 no seu computador. Sua coleção invejável está guardada em serviços como o da Amazon, do Google ou da Apple.

Usar a computação em nuvem para acessar música é um fenômeno mais interessante do que a descoberta do MP3, porque é a síntese do acesso instantâneo. Antes, tínhamos de procurar, comprar e/ou baixar. Agora, qualquer música ou artista que você quiser acessar está ali, na palma da sua mão, como parte de um catálogo infinito.

Todas as músicas do mundo, ao mesmo tempo e agora. Mudaram não só o modo de descobrir músicas, como também a maneira de ouvir, compartilhar e até mesmo de criar sons e melodias.

Saudade das capas

Antes eu conhecia mais a banda e seu catálogo. Agora, porque uso o Spotify, o Rdio e o MOG, navego nas músicas de que gosto sem conhecer o artista. Se gostar de mais uma música da mesma banda, além de conferir a banda, também clico no link para ver mais artistas parecidos. Ainda não sei se esse comportamento é bom ou ruim, mas uma coisa é certa: ouço muito mais música do que antes. Outra coisa que mudou bastante foi a maneira de compartilhar. Para mim, aconteceu assim: antes um grupo de amigos se reunia para escutar vinil, fita, CD, iPod. Até então, todo mundo estava junto, no mesmo fuso horário e no mesmo lugar. Mas com serviços como o Turntable, as pessoas podem curtir juntas músicas em lugares e horários completamente diferentes.

E para os artistas, o que mudou? O assunto é longo, por isso vai ficar para uma outra coluna. É interessante ver como as bandas estão inventando meios criativos de ganhar dinheiro e até mesmo de se expressar. Confiram o novo projeto da Björk, chamado Biophilia, em que cada música tem um aplicativo diferente para o iPhone e o iPad.

A música na nuvem ainda vai evoluir e tenho certeza de que muitas coisas interessantes acontecerão por causa disso. Mas aqui vai uma reclamação de velha: por que todo mundo só escuta música sozinho no iPhone? O que aconteceu com ouvir música superalta em casa? E o pior, vocês não têm saudade de ver a capa dos discos? Eu tenho.

 

 

Fonte:http://info.abril.com.br/noticias/tecnologia-pessoal/artigo-colecao-de-musica-agora-e-infinita-13092011-11.shl

Mulher pesquisa mais ao comprar eletrônicos

 

Uma pesquisa inédita realizada pelo Data Popular, em parceria com a Abril Mídia, aponta que 74,7% das brasileiras da classe C procuram consultar amigos e parentes antes de comprar um computador.O estudo, intitulado ‘As poderosas da nova Classe Média’, mostra que entre mulheres de até 24 anos, a penetração do acesso à internet é igual em todas as classes. Porém, as brasileiras da Classe C se mostram mais interessadas em escolher produtos de qualidade e sofisticados.

“A pesquisa nos revela que as mulheres estão cada vez mais mudando do posto de ‘donas de casa’ para ‘donas da casa’. São elas que escolhem absolutamente tudo que entra na residência, desde produtos para a casa até eletrônicos como notebooks”, aponta Renato Meirelles, sócio-diretor do Data Popular.

Segundo o estudo, as mulheres costumam pesquisar mais que os homens antes de comprar qualquer objeto. Cerca de 46% delas afirmam que pretendem comprar um notebook nos próximos 12 meses.

O celular é um dos itens mais cobiçados pelas mulheres. De acordo com a pesquisa, 60% delas possuem celulares com 2 ou mais chips e quase 51% delas pretendem trocar de celular no próximo ano.

De acordo com Meirelles, as mulheres estão mais poderosas e mais informadas que os homens. E a busca pelas novidades em consumo vem através da leitura. 45% delas leem revistas contra 31% dos homens.

“Elas têm mais poder porque contribuem mais para a renda da família, conhecem mais as necessidades da casa e são mais bem informadas do que os homens”, conclui Meirelles.

A pesquisa, divulgada hoje, foi realizada entre março e julho deste ano e entrevistou mais de 5 mil mulheres pessoalmente por todo o território nacional e outras 30 mil em uma pesquisa online entre 26 Estados. Além disso, 12 famílias de 3 Estados (Ceará, São Paulo e Rio de Janeiro) foram analisadas durante 556 horas para realização de observações etnográficas.

 

Fonte:http://info.abril.com.br/noticias/tecnologia-pessoal/mulher-pesquisa-mais-ao-comprar-eletronicos-13092011-23.shl

Google Docs libera opção ´comentário apenas`

 

O Google Docs liberou a função que permite ao usuário adicionar colaboradores para somente acessar e comentar, sem opção para modificar o documento.Segundo o Google, a intenção é permitir que outros usuários deem ideias e sugestões ao documento, sem que haja alteração no conteúdo.

Para adicionar um colaborador em um documento, basta utilizar o botão “Compartilhar” e ativar a opção (dentro do menu drop-box) “Pode comentar”, que é o oposto das opções já existentes “Pode editar” e “Pode visualizar”.

 

 

 

Fonte:http://info.abril.com.br/noticias/tecnologia-pessoal/google-docs-libera-opcao-apenas-comentar-12092011-34.shl

Facebook vai criar listas de amigos

 

O Facebook anunciou novas funções em seu sistema para a criação e para o gerenciamento de listas.

De acordo com post publicado no blog da empresa, a rede social vai sugerir quatro novas listas – familiares, colegas de trabalho, colegas de escola e moradores de uma mesma cidade – para o usuário a fim de facilitar a divisão dos contatos. O objetivo é evitar o compartilhamento de conteúdo indevido com certos grupos.

Além disso, o usuário poderá dividir seus contatos em dois grupos maiores: amigos próximos e conhecidos. O primeiro deles vai permitir acessar de forma rápida as publicações dos contatos os quais o usuário interage com frequência, enquanto o segundo vai exibir o restante delas.

Novos contatos poderão ser adicionados ou excluídos das listas a qualquer momento.

Além disso, a empresa anunciou que irá reformular seu sistema de notificações enviadas via e-mail. Hoje, dependo das configurações do usuário, ele pode receber uma mensagem a cada vez que alguém curte uma ação sua ou posta um comentário em uma foto ou em seu mural.

Com o novo formato, somente as principais ações serão enviadas para o usuário por meio de um único e-mail.

De acordo com o Facebook, as novas funções serão ofertadas para os usuários ao longo desta semana.

 

Fonte:http://info.abril.com.br/noticias/internet/facebook-vai-criar-listas-para-usuarios-13092011-28.shl

TIM defende desoneração para telefonia

 

Um dia após o Ministério das Comunicações ter acertado com a Fazenda um texto final para o regime de tributação para construção de redes de fibra ótica no país, a TIM defendeu desonerações também para a oferta de serviços de telefonia.Segundo o presidente da TIM, Luca Luciani, a tributação atual sobre o setor está em “nível elevado” e, para aumentar o acesso de consumidores de baixa renda a esses serviços de banda larga móvel, é necessário combinar benefícios fiscais para construção de redes e para oferta de serviços.

“As duas coisas não se excluem, é fundamental fazer isso”, disse o executivo a jornalistas após palestra na Futurecom, evento do setor de telecomunicações realizado em São Paulo.

Luciani disse que o Brasil tem uma das maiores tributações sobre o setor no mundo, e defendeu também incentivos para a redução dos preços de smartphones para aumentar a oferta de 3G.

O texto acertado na terça-feira entre as Comunicações e a Fazenda prevê desoneração de até 100 por cento de PIS/Cofins sobre investimentos em fibra ótica. A expectativa é que a proposta seja assinada pela presidente Dilma Rousseff esta semana.

O presidente da TIM defendeu o compartilhamento de redes entre operadoras como forma de redução de custos e de atração de mais usuários. “Uma coisa é competir no mercado do varejo e outra é compartilhar uma estrutura de transmissão”, disse ele, acrescentando que a operadora compartilha 50 por cento de suas antenas.

Luciani não comentou sobre rumores do mercado de que a TIM estaria planejando uma oferta primária de ações ou de que sua controladora, Telecom Italia, pode reduzir sua participação na operadora brasileira.

Fontehttp://info.abril.com.br/noticias/mercado/tim-defende-desoneracao-para-telefonia-13092011-17.shl

AOL demite fundador do TechCrunch

 

Michael Arrington, fundador do blog TechCrunch, está fora do site que criou seis anos atrás e do grupo AOL, que comprou a empresa no ano passado por estimados 30 milhões de dólares.

Um comunicado divulgado ontem anunciou oficialmente a saída de Arrington, em meio a uma crise que já vinha acontecendo havia mais de uma semana. Ele vai ser substituído por Erick Schonfeld, um veterano do site. No TechCrunch, o comunicado da AOL foi publicado  sob o título “Decidir partir”, com a palavra “decidir” entre aspas, o que dá a entender que a saída não foi voluntária.

Arrington deve se dedicar ao seu recém-criado fundo de investimento CrunchFund, que estreia com um capital de 20 mihões de dólares, sendo 10 milhões da AOL. A criação do fundo foi o começo da crise que levou à demissão do fundador do TechCrunch. O plano de Arrington é investir em startups, que são um dos assuntos principais do blog, situação que a maioria das pessoas considera um conflito de interesses.

Tim Armstrong, o executivo-chefe da AOL, chegou a fazer declarações apoiando Arrington e seu CrunchFund, que a AOL está financiando. Mas o blogueiro investidor parece ter entrado em conflito com Arianna Huffington, a poderosa fundadora do Huffington Post e sua chefe imediata na AOL.

Na semana passada, Arianna já havia declarado à imprensa americana que Arrington não seria mais editor do TechCrunch, mas que poderia continuar colaborando com o site como “blogueiro não remunerado”. Há certa ironia nisso, já que boa parte da audiência do Huffington Post vem de blogs produzidos por voluntários que não são pagos para escrever.

Arrington respondeu com uma provocação. Ele apareceu ontem, no evento TechCrunch Disrupt, em São Francisco, com uma camiseta onde se lia “blogueiro não remunerado”.

 

Fonte:http://info.abril.com.br/noticias/mercado/aol-demite-fundador-do-techcrunch-13092011-20.shl

 

Sony lança Walkman com Android 2.3

Parece que a Sony finalmente resolveu bater de frente com a Apple e mostrar uma alternativa ao iPod Touch. Ele deve agradar principalmente aos usuários de Android. Um dos motivos da opção por um iPod ou iPhone é a familiaridade com o sistema iOS, além de apps já comprados anteriormente que podem ser usados no novo dispositivo.

O Sony Walkman Z1000 foi anunciado pela Sony para ser lançado em meados de outubro e vem com algumas especificações bem interessantes. São três opções de capacidade, 16 Gb, 32GB e 64 GB. Eles virão com uma tela de 4,3 polegadas – um bom tamanho, diga-se de passagem – e resolução de 480 X 800 pixels. Outra informação que se pode ver nas fotos de divulgação dele, é que o MP3 player conta com uma saída HDMI.

O processamento do bichinho será feito por um Nvidia Tegra 2, o que já faz com que ele saia na frente da atual geração de iPods Touch, que não contam com processadores de dois núcleos e a memória RAM é de 512 MB. Outra informação bem interessante sobre isso, é que a versão do Android é a 2.3.

Com o lançamento marcado para outubro, os preços indicados pela Sony são de 28 mil ienes a 43 mil ienes, o que, em uma conversão livre, implica de 621 a 954 reais. Precinho um pouco salgado, para um valor ainda sem qualquer imposto.

 

 

Fonte:http://info.abril.com.br/noticias/blogs/gadgets/mp3-players/sony-lanca-walkman-com-android-2-3/